Eliana Tomaz

tártaros

TARPAS | Algo Entre O Tártaro E As Tapas.

Eliana Tomaz2 Comments

Ontem fui ao peixe fresco. Quando cheguei os meus olhos bateram num cação lindo. Imaginei-o num belo ensopado ou sopa alentejana mas como estava muita gente decidi ir comprar cogumelos frescos. Escusado será dizer que quando voltei o cação já tinha desaparecido sem deixar rasto! Tive de mudar de ementa e optei por comprar Sardas, as irmãs das Cavalas.

Como ando na onda dos tártaros e das tapas decidi juntar as duas e ver no que é que dava.

Sarda escalada sem espinhas, perfeita para grelhar. Como optei pelo tártaro tirei as barrigas e cortei-a aos bocadinhos.

As duas que trouxe tinham ovas. Acho que as vou grelhar num pingo de azeite... 
Quanto ao peixe, numa tupperware coloquei-as de costas para baixo e temperei-as com o sumo de um limão, gengibre ralado, sal e pimenta moída. Deixei marinar no frio durante uma hora. 
De seguida cortei meia manga aos bocadinhos, os filetes de peixe de igual forma e misturei tudo numa tigela. 
Tostei levente as fatias de pão, coloquei folhas de espinafre por cima e adicionei o mix de peixe e fruta - deu 6 tapas grandinhas para 2 pessoas.

Só isto! Sim, poucos ingredientes, eu sei. Podia-se juntar mais ingredientes? Claro! Uma maionese de manjericão era capaz de ficar bem, mas não há nada melhor que sentir o sabor de cada ingrediente ao natural (e ao domingo sabe-me sempre bem comida simples e cheia de frescura).

image.jpg

Ainda pensei juntar mais frutas, mas quis começar com uma base simples. Da próxima junto mais ingredintes para perceber a evolução dos sabores.

TÁRTARO | A Vida É Tão Mais Bonita Ao Natural.

Eliana TomazComment

Gosto de restaurantes casual chic – de espaços onde podemos ir sozinhos ou em grupo, para uma refeição ou um snack a qualquer hora do dia. Se tiverem um balcão corrido com bancos altos, melhor ainda.
Lisboa já começa a ter vários espaços destes, uns mais stylish que outros, mas o Mercado da Ribeira continua a ser um dos meus lugares de eleição (já estou a ouvir as vozes conservadoras gritarem alto que é só turistas – e o que eu adoro estar rodeada de turistas?!?).

Gosto de estar rodeada de turistas e de comida do mundo, dos tártaros do austríaco Dieter Koschina e da sua equipa. Sempre que tenho uma desculpa dou lá um saltinho, e a desculpa de ontem foi um amigo holandês querer conhecer o tão badalado Mercado da Ribeira (e que até agora nunca desiludiu). 

image.jpg

Ontem escolhi um tártaro criado por Peter Knogl de atum com gengibre, creme de manjericão, maionese de sésamo e rabanete – simples, fresco e delicioso. Podia comer todos os dias tártaro que jamis me cansaria.

Clica aqui para ver outro tártaro.