Eliana Tomaz

bom apetite

TARPAS | Algo Entre O Tártaro E As Tapas.

Eliana Tomaz2 Comments

Ontem fui ao peixe fresco. Quando cheguei os meus olhos bateram num cação lindo. Imaginei-o num belo ensopado ou sopa alentejana mas como estava muita gente decidi ir comprar cogumelos frescos. Escusado será dizer que quando voltei o cação já tinha desaparecido sem deixar rasto! Tive de mudar de ementa e optei por comprar Sardas, as irmãs das Cavalas.

Como ando na onda dos tártaros e das tapas decidi juntar as duas e ver no que é que dava.

Sarda escalada sem espinhas, perfeita para grelhar. Como optei pelo tártaro tirei as barrigas e cortei-a aos bocadinhos.

As duas que trouxe tinham ovas. Acho que as vou grelhar num pingo de azeite... 
Quanto ao peixe, numa tupperware coloquei-as de costas para baixo e temperei-as com o sumo de um limão, gengibre ralado, sal e pimenta moída. Deixei marinar no frio durante uma hora. 
De seguida cortei meia manga aos bocadinhos, os filetes de peixe de igual forma e misturei tudo numa tigela. 
Tostei levente as fatias de pão, coloquei folhas de espinafre por cima e adicionei o mix de peixe e fruta - deu 6 tapas grandinhas para 2 pessoas.

Só isto! Sim, poucos ingredientes, eu sei. Podia-se juntar mais ingredientes? Claro! Uma maionese de manjericão era capaz de ficar bem, mas não há nada melhor que sentir o sabor de cada ingrediente ao natural (e ao domingo sabe-me sempre bem comida simples e cheia de frescura).

image.jpg

Ainda pensei juntar mais frutas, mas quis começar com uma base simples. Da próxima junto mais ingredintes para perceber a evolução dos sabores.

Salmonete | Uma Refeição Para Um.

Eliana TomazComment

A pequenez do salmonete faz dele favorito para o almoço (ou jantar) duma pessoa – textura e sabor bem presentes, agora é só preciso encontrar uma forma rápida de o cozinhar.

Achei que embrulhá-lo em papel de alumínio e levá-lo ao forno seria o suficiente – e foi.

image.jpg

INGREDIENTES:
1 salmonete previamente amanhado
1 alho francês cortado às rodelas finas (só a parte mais clara)
1/2 malagueta pequena (esta é daquelas super poderosas!)
Azeite
Gengibre
Sal
Coentros

Primeiro forrei um tabuleiro pequeno com uma folha de papel de aluminio. De seguida coloquei o alho francês cortado em rodelas fininhas e por cima o salmonete inteiro salpicado de ambos lados com sal – numa linguagem gourmet dir-se-ia “salmonete sobre uma cama de alho francês cortado em rodelas finas”.
Numa tigela à parte juntei o azeite, gengibre ralado e a ½ malagueta poderosa, também esta cortada às rodelas. Tudo muito bem misturado para de seguida regar o pequeno peixe com este vinagrete (sem vinagre).
Uns pés de coentros por cima, tudo bem embrulhado e segue para dentro do forno previamente aquecido.

Aproveitei para ligar a uma amiga enquanto o salmonete se despachava. Acho que tivemos ao telefone uns 20 minutos, não mais… Abri a porta do forno e o cheirinho invadiu a cozinha. Desliguei o lume, fui buscar um prato e uma fatia de pão para acompanhar aquele alho francês suado na perfeição. Não sei porquê, mas acho que este vegetal fica tão bem com peixe (salmão também é uma boa companhia). 

Tabuleiro fora, peixe desembrulhado – et voilá!
Bon Appetit.

Se esta receita não te convenceu, vê os "Príncipes de Bigodes" - também é bom.

A PARTILHA DA ANA | Salmão com Veggies e Natas.

Eliana TomazComment

Já referi noutras ocasiões o poder da partilha, não já? De qualquer forma tenho de voltar a sublinhar a felicidade que ela nos pode dar - ontem rasga-se-me um sorriso de orelha a orelha, bochecha corada quando recebi uma foto da Ana Pereira com uma bela posta de salmão fresco cozinhada à moda dos filetes de dourada que fiz esta semana. 

Alguêm consegue imaginar este meu sorriso?!?! Acho que só mesmo quem estava ao meu lado, que no imediato me perguntou se eu tinha ganho a lotaria! Suponho que a lotaria não dá a gratificação em saber que há quem leia o blog do peixe (de onde já herdei a alcunha de peixinha) e que se inspiram nele para agradar aos que mais lhe são queridos.

É este o poder da partilha: temos para ter o prazer de dar e um dia quem sabe, receber.

#Obrigado Ana e Sérgio.

A Ana aplicou a "técnica" das natas mergulhadas na frigideira depois de fritar o salmão fresco em azeite, sal pimenta e ervas aromáticas. Para acompanhar, cozeu legumes a vapor, também de texturas mais fortes - adoro cenouras cozinhas (ou de qualquer outra maneira).
Está com um aspecto fantástico, não está? Agora sou eu, que vou seguir as dicas da Ana e fazer o salmão com as natas.

#BomApetite