Eliana Tomaz

FOODIE | a analogia da comida.

Eliana TomazComment

Adoro comer e cozinhar.
Muitos perguntam-me como é que tenho paciência para cozinhar só para mim – a verdade é que cozinho só para mim duas vezes ao dia (se não contar com o pequeno almoço que não dispenso).

Cozinhar é um acto simples, desprendido de regras desde que me saiba bem (e a quem partilhar a mesa comigo). Cozinhar é como viver – com as regras básicas de respeito pelos outros bem delineadas (na comida, pelos ingredientes) e a partir daí será um processo natural, go with the flow, cada vez com menos expectativas mas com muito sabor.

Passo a explicar esta analogia com a pasta que fiz para o almoço.
Era para ser uma puttanesca com pompa e circunstancia mas acabou por ser só inspirada nessa receita tão italiana que os amantes de massas tanto gostam – eu amo pelo mix & match de sabores e ingredientes.
Poderia seguir a receita à risca com os ingredientes todos mas optei por usar só o que tinha em casa- azeite, alho, bacon, tomate cherry, alcaparras e azeitonas. Ficou então a faltar cebola, anchovas, tomate de lata e respectiva polpa. Quanto ao parmesão e manjericão optei por não colocar… por qualquer razão não estava a pedir. Da próxima talvez adicione.  

Ou seja:
Viver a nossa vida deveria ser assim (e eu tento que assim seja) - não seguir as receitas da felicidade, não esperar por todos os ingredientes certos, nem exigir as últimas tecnologias para ter a certeza absoluta a que temperatura cozinhamos. Viver e cozinhar deve ser feito de coração (e uma boa poção de razão), experimentar ingredientes novos, substituir por outros, adicionar em maior quantidade os favoritos e juntar somente aqueles que nos apelam mais. Viver e cozinhar é também saber rejeitar sabores mesmo que as tendências digam o contrário. É não rejeitar sem jamais provar. 

image.jpg

Uma pasta simples, deliciosas, rápida e cheia de sabores diferentes.
Dica: não cozinhar os tomates e as alcaparras muito tempo para manter estes sabor mais presentes. 
Bom apetite! 

image.jpg