Eliana Tomaz

LuxWoman | As Escolhas De.

Eliana TomazComment

A Revista ‪#‎LuxWoman‬ quis saber quais são as minhas escolhas, eu entusiasmei-me e contei-lhe tudo: dicas para curtir Londres, o que eu faço por Lisboa e porque é que gosto tanto da Maceira. Ainda falei de comida, desafios e outras coisas super stylish! Obrigada Revista LuxWoman, por me incluíres n' #asescolhasde e por ter sido partilhado no #diadamulher 

"Para Eliana Tomáz, a vida tem só o lado A e é sempre bela. É designer de interiores e autora de dois blogs: I Design Therefore I Am e Peixe é Fish. É a nossa convidada desta semana de ‪#‎asescolhasde‬, para conhecer aqui: http://bit.ly/escolhas-eliana-tomaz "

Para quem quiser continuar a ler aqui, deixo o texto integral e as fotos que o acompanham. Obrigada a todos, aos que me leem, inspiram e motivam a nunca deixar de escrever.

 

Entusiasmada sempre! Para mim, a vida tem só o lado A e é sempre bela. Depois de tirar o curso Técnico de Comércio, a minha sede pelo mundo do trabalho e da descoberta era infinita. 

Licenciar-me nunca foi uma prioridade, porque queria fazer tudo. A verdade é que fiz e aprendi muito até que abri o meu primeiro atelier de decoração de interiores

Passados quase cinco anos a desenhar espaços bonitos, mobiliário e outros produtos, decidi fechar a empresa, alugar o meu apartamento, vender o carro e rumar a Londres sozinha

Licenciei-me em Spatial Design pela Central Saint Martins (UAL) e trabalhei com gente de todo o mundo em empresas de renome internacional ligadas à arte e ao design. 

Passados cinco anos nesta capital da Europa, e de muitas experiências maravilhosas,voltei a casa. Escolhi a linda Lisboa para criar raízes. Durante mais de três anos colaborei com uma empresa de mobiliário, na qual fui responsável por uma carteira de clientes do Reino Unido, da Noruega e Japão e também fui responsável de marketing. 

Sem planear, voltei ao design de interiores, preparo uma loja online e sonho com uma marca de produtos para a casa que comunique Design & Inovação em português

Nos meus blogs encontra: no I Design Therefore I Am partilho casas lindas e vividas com muita personalidade que fotografo em exclusivo para aqui, dicas de interior styling, algumas receitas, arte, mobiliário e tudo o que possa ter a ver com design de interiores. No Peixe é Fish partilho essencialmente receitas, opiniões sobre restaurantes e dicas, desde que se trate única e exclusivamente de peixe. Todas as fotos e textos dos blogs são originais.

Viagens

Já viajei para vários pontos do mundo, mas há três viagens que influenciaram muito a minha vida pessoal e relacional: a primeira foi a Nova Iorque (uma semana a celebrar os meus 34 anos), a segunda foi a Tóquio e Osaka (apesar de ter lidado com vários japoneses nos anos em que vivi em Londres, ir ao Japão é uma experiência que deita por terra qualquer preconceito sobre pessoas e culturas). Por último, uma das várias viagens que fiz à Noruega, onde conduzi de Oslo até Bergen ao longo da costa – mais de 800 km). Todas estas viagens, fi-las sozinha.

Dicas para Londres

Londres é uma cidade sempre em alta frequência e uma das razões para isso é o facto de ter tanta oferta. Partilho convosco alguns dos meus espaços favoritos: para quem gosta de comida thai (a minha favorita), tem de ir ao Walmer Castle, em Notting Hill. Mesmo em frente a este pub inglês (que serve a tal comida thai) não pode perder um cupcake da Ottolenghi. Ao virar a esquina, temos a Westbourne Grove, a rua mais posh de Notting Hill (e onde morei durante três anos). As melhores lojas, como a Zadig & Voltaire, e mercearias, como a Daylsford, estão lá todas. Uma vez aqui, aconselho apanhar o autocarro 23 em direção a Liverpool St. Station – o melhor trajeto para quem quer ir do oeste a este de Londres como um verdadeiro local: passa por Oxford Street, Regent Street, Picadilly Circus, Trafalgar Square, atravessa toda a City, St Paul’s Cathedral (uma vez aqui, se olharem para o outro lado do rio, veem o Tate Modern) e finalmente chega-se a Liverpool Street. Saiam do autocarro e explorem esta zona toda a pé, começando pelo Spitafields Market. Dito isto, acho que devia começar a escrever um blog sobre Londres, uma vez que há tanto para partilhar!

Lisboa e eu

Amo Lisboa com tanto carinho que todos e quaisquer elogios que lhe faça são influenciados por esta admiração, mas são a verdade! Uma cidade que todos os dias nasce mais bonita e sempre muito graciosa. Gosto de andar pela capital sem destino, às vezes só mesmo para ver a vida passar e inspirar-me naqueles com quem me cruzo. Se houver destino, há de ser a melhor taqueria da cidade, a Pistola & Corazon, ou o Bastardo – confesso que o adotei assim que nasceu, é onde me encontro com amigos e onde levo pessoas especiais. O Mercado da Ribeira continua a ser uma escolha quando me apetece almoçar fora sozinha ou quando a fome aperta fora de horas. O Avenue, porque adoro a comida da Marlene Vieira e tenho de voltar ao Claro!, porque aquele pica-pau de atum do Vítor [Claro] ainda me está na memória. Bom peixe há muito e eu realço o Sea Me e o Kampai. Os melhores croissants de amêndoas estão mesmo ao pé de minha casa, na La Boulangerie, e porque tenho uma fixação por hummus, o Café Royale é um must go.

A minha comfort zone

Lisboa é a minha cidade, mas a Maceira é a minha aldeia. Mais conhecida por Termas do Vimeiro, é aqui, junto da família e dos amigos de infância, que carrego baterias, de preferência na Praia de Santa Rita. Adoro fazer caminhadas até à praia a pé ou ao longo das areias douradas da nossa costa, onde a alegria é sempre uma companhia. Tive a melhor infância do mundo exatamente por ter nascido e crescido nesta aldeia que outrora foi o porto das tropas do duque de Wellington, na Batalha das Linhas de Torres. Ainda hoje tenho amigos que conheci nos verões infinitos da minha infância.

Portugal empreendedor

Apesar de me chamarem ‘Mulher do Mundo’, não tenho a menor dúvida de que sou do mais português que Portugal pode ter. Adoro este país e tudo o que nos proporciona. Projetos muito bons que devem ser visitados: quem vive em Lisboa e arredores tem de visitar a Pousada de Cascais – Cidadela Historic Hotel & Art District, onde se pode visitar os estúdios de artistas contemporâneos e assistir a exposições nas áreas comuns da Pousada. Para quem for ao Baixo Alentejo ou quem por lá viva, a Herdade da Malhadinha Nova é um sítio a visitar – façam a visita guiada de jipe com a prova de vinhos no final. No Porto aconselho a perderem-se e a explorarem todas as ruas e ruelas que avistem, mas para almoçar ou jantar não percam o Traça, um restaurante com um toque escandinavo que é uma delícia. Se quiserem perder-se numa serra portuguesa, o Caramulo deve ser a vossa primeira escolha, com destino à Casa do Páteo na Aldeia da Lourizela, e um almoço na antiga escola primária na Macieira (aberta só ao fim de semana). Depois disto, o orgulho por este país será ainda mais legítimo.

À mesa e no sofá

À mesa, quantos mais, melhor – jantares longos com boa comida, bom vinho e companhia de excelência são o meu guilty pleasure. Cozinho todos os dias só para mim e muitas vezes para amigos. Adoro estar à mesa e fico sempre fascinada a olhar para ela ao fim da noite, a apreciar os pratos sujos, as nódoas na toalha, os guardanapos enrodilhados, as garrafas sem rolhas, os talheres misturados, migalhas espalhadas e côdeas desprezadas. No sofá, a história é outra: todos os dias depois de jantar, a ver um filme ou uma das minhas séries televisivas de eleição, adoro fazer o vinho bailar no copo, cheirá-lo ainda em movimento e oxigenar cada golada – e isto é algo que consigo fazer (e bem) sozinha (acompanhada sou mais envergonhada).

Compras

Sou o Speedy Gonzalez nas compras, exceto se acontecerem em dois sítios: no mercado de frescos ou numa livraria. Caso contrário, levo listas para não me demorar muito e porque médias ou grandes superfícies me causam miniclaustrofobias.

Animais de estimação

Para mim, viver com animais tem sido uma descoberta preciosa. Até decidir adotar dois gatos que viviam na rua, só conhecia a interação com cães, que devo dizer que adoro. Mas é com os gatos que tenho aprendido muito sobre a condição humana e sobre a forma indireta e silenciosa que nos ensinam a ter mais paciência, mais calma e mais descontração no dia a dia.

Yoga & caminhadas

Escolho o yoga para libertar o stress acumulado ao longo dos dias e as caminhadas de duas horas à beira-Tejo para me abstrair do dia adia.

Canhotos & revistas

Na minha mala nunca falta um caderno onde escrevo notas, listas de “a fazer”, pensamentos, recados para mim própria e outras palavras soltas que, mais dia, menos dia, terão destino. Sou ainda consumidora exigente de boas revistas, que trato e consumo com tanto carinho como um livro. Sempre que volto do estrangeiro, o souvenir que trago comigo há de ser uma ou muitas revistas.

Desafios

Ando sempre de braço dado com um desafio qualquer e neste momento é o de aprender a gostar de cogumelos.