Eliana Tomaz

À Mesa Com O Chef Giorgio Damasio | "Fusão Sem Confusão" no POPULI.

À Mesa DeEliana TomazComment

Pudesse eu, trazia o Populi aqui para o meu bairro. Gosto de me rodear de gente gira, inteligente, criativa e que tem prazer na partilha – de gente e de mesas de refeição como as do Chef Damasio, italiano mas rendido ao nosso país há 15 anos.

Antes de falar do Giorgio e do que partilhou comigo, tenho de falar do primeiro impacto que tive: o restaurante.
A ideia que tinha caiu por terra no instante que passei aquela porta imponente. Um espaço bem desenhado – grandioso como a Praça do Comércio onde reside mas, pela escolha de materiais, extremamente confortável.
Os tons sóbrios brilham com a intensidade da luz que entra janela e porta adentro. Só pensei: porque a vida com estilo é muito mais chic!!
Está lá tudo: a tradição (nos mosaicos hidráulicos), o conforto (nas madeiras), a riqueza (no chandelier dourado), a elegância (nos veludos vermelhos) e o metal (cinza das cadeiras) que une todos estes pontos com tanta mestria pela mão de Teresa Beirão da Veiga, arquitecta do projecto.

Chef Giorgio Damasio disse-me que a cozinha do Populi é “simples, tradicional e terra-a-terra”. E é! Mas desengane-se aquele que acha que o simples é fácil. Não é!
Em cozinha, o simples é o equilíbrio ente a essência do produto com as notas (ingredientes) que se adicionam para enaltecer ainda mais o seu paladar.
Quanto à "técnica" que usa, também esta tão simples como ir às suas origens genoveses, lembranças de criança e sabedoria dos mais velhos para dar um pouco de si a quem aprecia boa comida. Um fusão sem confusão falada em latim contemporâneo. 

Camarões em espetadinhas de citronella com molho agridoce de pimento e abacaxi.

Todas as receitas foram partilhadas pelo Chef (adoro gente que adora partilhar sem reservas). Como se trata de ingredientes vindos do mar decidi partilhar mais fotografias e as ditas receitas no Peixe é Fish. Clica aqui e inspira-te. 

Polvo com batata doce e grelos.

Não percam esta receita – o polvo é cozido em court bouillon perfumado c/ vinho tinto “desalcoolizado”, canela e aromáticas.

Assim se compõe um prato, com uma orquestra de panelas, talheres e fogões a cantarolar em background. 

Para ser melhor gente, tem que se ter coração de framboesa como este fondant de chocolate. 

Todas as ruas, metros e eléctricos dão à Praça do Comércio – não me digas que está fora de mão ou que é demasiado turístico. Também não me digas que não tens 3 horas para aproveitar o melhor que a vida tem para oferecer porque às vezes só precisamos dum momento para rematar o dia com uma espetadinha de camarões, um copo de vinho ou um único fondant com coração vermelho.
A vida é bela e está aqui mesmo para ser levada a sério. 

Fica muito para contar nesta mesa. Por exemplo, enquanto esperávamos que os fondants ficassem prontos, Giorgio descascava camarões e contava-me como é que conheceu a mulher da sua vida. Também me disse o que é que fazia com as ervas aromáticas que em breve deixam de estar frescas. Ainda falámos de raviólis e porque é que o risotto de peixe não leva parmesão. Talvez muito em breve haja outra mesa posta (só em italiano).