Eliana Tomaz

DESIGN DE INTERIORES | projecto concluído, casa vivida.

Eliana TomazComment

A desenhar interiores desde 2001 (com algumas interrupções pelo meio), tenho que dizer que nunca tive um/a cliente igual, com requisitos parecidas muito menos exigências inatingíveis, mas todos eles e elas têm a mesma forma de falar do seu espaço e do que procuram - olhos a brilhar em busca de conforto, sempre!

O desenvolvimento do espaço andou todo à volta de uma janela e de uma “day bed” que se pretendia junto à mesma. “Conforto Eliana! Conforto para ler os meus livros junto à janela. Achas que conseguimos?”. Claro que sim!

Projecto aceite – mãos à obra (literalmente).

São os pormenores que fazem o design e é com os objectos que habitam cá em casa que o mesmo se consegue. Ora vejam. 

Depois de a Catarina me dar as suas directrizes e budget, dividi o projecto em duas fases – primeiro o design e remodelação de interiores e só depois o styling. Desenhos aprovados, orçamentos a voar (em valores e quantidade) e a obra começou.

O projecto foi todo à volta da janela mas a rainha do espaço é esta estante com 6,30 metros de largura e 2,60 de altura. Uma grelha equilibrada para receber a colecção de livros da casa e os objectos que contam histórias sobre quem os pertence e sobre quem os ofereceu.

Estante quase acabada, começámos a pensar no styling.
Para a Catarina o importante é ser prático. Uma mãe e profissional activa precisa que a sua casa fale a mesma linguagem - versatilidade. Mencionei o preto e branco (para abraçar melhor o vermelho da cozinha que está ali mesmo ao lado) - aprovado. 
Cores e design aprovado, fomos as duas às compras. IKEA é a opção certa até porque as outras divisões da casa têm aquele traço escandinavo que todos nós já conhecemos tão bem. 

Um projecto que correu maravilhosamente bem, com a ajuda do Thomas, um carpinteiro alemão que vive em Portugal há anos. Profissional, metódico e exigente - só tinha um requisito: "quintas-feiras não dá, tiro o fim do dia para tocar jazz com a minha banda".
Ainda participaram a Helena (com as costuras) e o Orlando (como pedreiro) que a cliente teimava chamar Osvaldo, se não me engano. 

Desenhar interiores também é isto, estar mais próximos uns dos outros sem grandes cerimónias.