Eliana Tomaz

A Espontaneidade Da Mesa Alentejana.

À Mesa DeEliana TomazComment

A convite da minha amiga Rita, vim passar uns dias ao Baixo Alentejo - tão bom!
Há qualquer coisa nesta terra que me faz bem – gosto da energia, luz e cheiro que se vivem por aqui, adoro a comida e conheço sempre gente maravilhosa com histórias inspiradoras e muita gargalhada para partilhar. 

Depois dum início de fim de tarde à lareira alentejana e duma curta visita à feira de vinho de talha (vitifrades), sete pessoas juntaram-se numa mesa redonda à conversa, comendo, bebendo e já para o fim, cantado modas alentejanas.

Haverá melhor que isto? 

PS - sinto-me uma privilegiada por ter tido a oportunidade de viver esta experiência. obrigada por tudo.

Restaurante País das Uvas em Vila de Frades perto da Vidigueira. Um espaço que fala alentejano convicto e onde se come feijão com cardos e burras estufadas no forno de-li-ci-o-sos. Ah, e ainda se bebe vinho de talha que eu adorei.

Este restaurante lembrou-me a taberna do meu avô paterno, que no seu caso não tinha talhas nas sim barris de madeira gigantes atrás do balcão com vinho para fornecer os seus fregueses.

Este restaurante lembrou-me a taberna do meu avô paterno, que no seu caso não tinha talhas nas sim barris de madeira gigantes atrás do balcão com vinho para fornecer os seus fregueses.

Cantou-se (mesmo ao lado da nossa mesa) Oliveirinha da Serra, mas as favoritas foram Quais Quais Oliveiras Olivais e Gotinha d'Água.  

Cantou-se (mesmo ao lado da nossa mesa) Oliveirinha da Serra, mas as favoritas foram Quais Quais Oliveiras Olivais e Gotinha d'Água.