Eliana Tomaz

Mercearias da Minha Infância.

Eliana TomazComment
Entre muitas brincadeiras do tempo de miúda, uma delas era "brincar às lojinhas" - à porta da adega dos meus avós agarrava em caixas de fruta, virava uma ao contrário, outras ao alto e a partir dali vendia conchas do mar e limonada que eu própria fazia - sim, é verdade, tenho mesmo uma cena por mercearias. 

Encontrei esta em Estocolmo, na zona de Södermalm, já tarde quando procurava um sitio para jantar. À entrada estava uma cascata de caixas de fruta e legumes que atraiam pelo cheiro - lembro-me da intensidade do aipo, que eu adoro (e de Bloody Mary também). Entrei e só sorri - uma instalação de caixas de fruta a fazer de prateleiras, cuja diferença com a minha lojinha era somente a escala de implementação. De repente estava novamente à porta da adega do meu avô Francisco e da minha avó Maximina.

Aqui encontra-se uma selecção de produtos italianos (molhos, azeite, massas e tudo ligado à cozinha rápida - e não menos deliciosa - de Itália), uma selecção de produtos árabes (farinhas para as falafels, hummus e outras coisas que eu confesso já não me lembrar) e montanhas de frutos secos, todos os que possas imaginar estavam lá - só imaginei uma mega salada verde salpicada de frutos vermelhos secos que eu adoro: temperada com limão ou maracujá e já está.

Adorei o pormenor da tira a imitar o quadro de ardósia com o texto a giz - altamente eficaz, não é?